Projeto Pedagógico

 

O Colégio Shallon é uma Empresa Individual. Nossa filosofia educacional é fundamentada no reconhecimento de que Deus é o Criador e o Sustentador de todas as coisas. (Gênesis 1 e 2; Salmo 8) Também se baseia na fé de que o Criador se deu a conhecer ao ser humano através da sua criação,a natureza,da sua Palavra,a Bíblia (Salmo 19) ;e através do seu Filho, Jesus Cristo (João 1.Hebreus 1;1-4).Portanto, cremos que o ser humano pode conhecer a verdade através do conhecimento científico e da fé cristã revelada na Bíblia e assim viver informado e transformado pela Verdade (Romanos 1:19-20;João 17:17).

Reconhecemos também que o homem foi criado à imagem e semelhança do próprio Deus (Gêneses 2:26-30) e, por isso, acreditamos ter ele potencial para mudar sua realidade e desenvolver hábitos, atitudes e valores que o transformam , dia-a-dia, num cidadão comprometido com o

serviço a Deus e à comunidade. No entanto, reconhecemos também que, por causa do pecado, o homem precisa ser salvo da sua condição pecaminosa, através da fé em Jesus Cristo, (Romanos 6:23) para que seu relacionamento com Deus possa ser restaurado ,sua vivência com o próximo enriqueça e, assim ,sua vida possa ter significado e propósito (João 10:10).

Com base, portanto, nestas proposições, consideramos a educação em nossa escola como um processo sob orientação do Espírito Santo que conduz o aluno a descobrir as verdades na revelação natural de Deus – a ciência, na revelação especial a Bíblia,e a aplicar estas verdades em todas as áreas de sua vida, o que resultará no desenvolvimento físico, mental, social e espiritual do educando, como também , na transformação do seu contexto social.

Cremos que o ensinar só faz sentido se educarmos o nosso aluno para Cristo, pois, tendo o Filho de Deus como modelo e referencial de vida, o aluno poderá desenvolver todas as potencialidades humanas para as quais Deus o criou.

É nossa convicção também que Deus estabeleceu a família e deu aos pais a responsabilidade da educação dos filhos. A nossa escola existe não para substituir a família e assumir a sua função , mas para dar-lhe suporte e auxilia-la na árdua tarefa de formação do caráter dos filhos.

Nesta parceria com a família, Nossa escola busca também a excelência acadêmica e a integração de todas as disciplinas ou áreas do conhecimento à fé cristã, dando ao aluno uma sólida formação que seja o referencial norteador de todos os seus relacionamentos e esferas de sua vida.

Nosso desafio, portanto, é trabalhar como parceiros da família na sublime tarefa de educar a criança e o adolescente para que cumpram o ser mais glorioso propósito na vida, que é honrar e glorificar a Deus.

1.4. Objetivos

- Orientar os alunos no ensino-aprendizagem em todas as áreas do conhecimento necessárias e, de acordo com as expectativas humanas.

Trazer meios para que o professor esteja em constante reciclagem buscando novos estudos, métodos, teorias e aplicando os mesmos em cada situação que surja durante o ensino aprendizagem.

- Buscar uma maior integração e um relacionamento cada vez mais humanos com todos os segmentos da comunidade educativa.

- Proporcionar à escola, melhores condições físicas através da implantação de material didático e tecnológico que possa complementar, de modo concreto o trabalho a ser realizado e gerar resultados mais eficazes e criativos.

- Proporcionar ao aluno interesse em buscar novos conhecimentos, superar suas ignorâncias, alegria ao analisar hipóteses que culminam na resolução de suas dúvidas.

- Respeitar as diferenças de individualidade, da cultura e da vivência em sociedade trazida por cada aluno para que haja uma maior integração e cooperação entre os mesmos.

- Proporcionar um bom relacionamento entre o corpo docente da escola e a coordenação pedagógica, de modo a garantir interação e trabalho conjunto entre eles.

- Integrar a comunidade escolar através do desenvolvimento de projetos que busquem crescimento cultural através de exposição de trabalhos, realizando seminários e comemorações festivas de acordo com a necessidade da escola.

- Desenvolver o senso crítico do aluno para que o mesmo aplique-o na sua vida diária de aprimorar sua convivência em sociedade.

1. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL:

1.1. Físicos: Prédio e as instalações

O Colégio Shallon, funciona em prédio próprio e conta com dezoito salas de aula, quatro banheiros, uma cantina, uma secretaria, uma sala para direção, uma para coordenação, uma para professores. Possui ainda uma recepção, uma biblioteca, um laboratório de informática, uma quadra de esporte coberta, duas piscinas e um parquinho infantil e muros em toda a sua extensão gerando segurança para alunos e funcionários.

É importante ressaltar que: as instalações elétricas, hidráulicas e demais utilitários necessários à estrutura do prédio, para as funções a que se destinam (utilização escolar), encontram-se em perfeito estado de conservação, para que, tudo funcione tudo perfeitamente.

1.2 Financeiros:

A Escola é mantida com os recursos oriundos do pagamento das mensalidades efetuadas pelos pais dos alunos ou alunos nela matriculados.

1.3 Didáticos:

Contamos com uma biblioteca, aparelhos de som, computadores, televisores, aparelhos de DVD, mapas e globos.

2. CURRÍCULO:

O Currículo no Ensino Fundamental e Médio em regime seriado anual será organizado por séries anuais e as matérias organizadas em forma de atividades. E as disciplinas serão distribuídas

Poder-se-ia definir como “uma construção social do conhecimento, pressupondo a sistematização dos meios para que esta construção se efetive: transmissão dos conhecimentos historicamente produzidos e as formas de assimilação, portanto, produção, transmissão e assimilação são processos que compõe uma metodologia de construção coletiva do conhecimento escolar, ou seja, o currículo propriamente dito. Neste sentido, o currículo refere-se à organização do conhecimento escolar.”

2.1. Cursos mantidos pelo Colégio

· Educação Infantil

· Ensino Fundamental

· Ensino Médio

2.2. Proposta Pedagógica:

2.2.1 Língua Portuguesa:

A língua se constitui, como tal, em uma interação social e, portanto, o seu ensino requer uma metodologia questionadora, tendo com base a análise e a reflexão de nossa realidade e de nossas experiências.

Ensinar Língua Portuguesa é garantir o domínio necessário da língua, para posicionar-se como cidadão ativo em uma sociedade, por meio de um processo dialógico entre professor e aluno. Utilizando um material contextualizado, ou seja, a partir de um texto desencadeia-se o trabalho como um todo – da gramática à produção, passando pela interpretação.

Estabelecendo vínculos entre a exposição teórica de cada assunto e os exercícios relativos a ele, será possível apresentar uma visão mais aprofundada da estrutura e do funcionamento da língua portuguesa e levar o aluno a refletir sobre as possibilidades de utilização efetiva que ela nos oferece.

Esse estudo teórico-prático contribuirá para o aprimoramento das habilidades dos alunos no que diz respeito ao uso do idioma e ele passará, assim, a dispor de maiores recursos para comunicar-se de forma mais adequada, lúcida e eficaz.

2.2.3 Educação Física:

Participação em atividades corporais, procurando estabelecer relações equilibradas e construtivas, sem deixar de respeitar o limite individual de cada aluno, bem como seu desempenho.

2.2.4 Arte e História da Arte:

A História da Arte e a Arte têm como base os processos de cognição, expressão e criação necessários à leitura e a representação da realidade. Entendendo o homem como um todo: razão, emoção, pensamento,

percepção, imaginação, reflexão e construção; valorizando as experiências já adquiridas e estabelecendo situações desafiadora. Propõe possibilitar ao aluno a compreensão do saber científico e estético, a fim de levá-lo á leitura, bem como à construção de novos saberes artísticos, oferecendo, ainda, subsídios às demais áreas do conhecimento.

Respeitar a sensibilidade e o senso crítico a respeito das diferentes manifestações artísticas existentes.

2.2.5 Matemática:

Ajudar o aluno a construir, desenvolver e aplicar idéias e conceitos matemáticos, sempre compreendendo e atribuindo significado ao que está fazendo evitando a simples memorização e mecanização. E tudo isso partindo de situações – problemas contextualizados e, posteriormente, aplicando os conceitos em situações cotidianas ou em outras áreas do conhecimento.

2.2.6 Ciências

As transformações provocadas pelo homem no meio ambiente ocorrem em determinado contexto histórico, social e cultural, ocasionando efeitos na natureza, na saúde e no comportamento do homem.

Para oportunizar uma apropriação do conhecimento sobre vários elementos do ecossistema e de suas interações, os conteúdos abordam os sistemas físicos, químicos e biológicos, objetivando a compreensão da natureza e das conseqüências da ação humana.

Tais aspectos fazem com que o educando compreenda e se aproprie das leis que regem os fenômenos naturais, inserindo-o no universo do conhecimento científico, por meio de um trabalho de observação, de experimentação, de coleta de dados e de formulação de hipóteses.

2.2.7 Biologia:

Por meio dos conteúdos propostos na disciplina, estudam-se as condições básicas que venham garantir a sobrevivência e a perpetuação dos seres vivos, inclusive da espécie humana, a interação adaptativa desses com os demais elementos da natureza, na qual o homem se deferência pelo processo de aquisição de cultura.

Procurar compreender a natureza e o homem na condição de agente transformador e como parte integrante desta.

Portanto, o ensino da Biologia tem como objetivo fundamental proporcionar conceitos e valores para alcance de um equilíbrio capaz de tornar a vida o centro das atenções do homem e, conseqüentemente, conduzir o educando, cada vez mais, à corresponsabilidade por uma vida digna neste planeta.

3.2.8 Química:

A Disciplina de Química tem por objetivo oferecer situações que proporcionem a aquisição, a organização e a sistematização dos conteúdos básicos. Assim, a partir de noções anteriormente adquiridas, propõe-se a construção da Química como Ciência, privilegiando sua importância e aplicação em situações do cotidiano e também em outras áreas.

Para que tal objetivo seja alcançado, o material utiliza enfoques diferenciados, de acordo com a faixa etária e com os níveis de desenvolvimento do aluno. A introdução da Química é apresentada na 8ª série, proporcionando aos alunos o conhecimento dos conceitos básicos desta disciplina.

2.2.10 Física:

A abordagem e compreensão dos mais diversos fenômenos que envolvem o comportamento energético da matéria, dando ênfase aos casos concretos, simples e presentes no dia-a-dia, busca despertar no aluno mais motivação e empenho para que possa melhor executar o raciocínio e ampliar seu conhecimento, desvendando, paulatinamente, a abstração das leis físicas, seus princípios e teoremas.

Desenvolver o estudo e a persistência para que o aluno compreenda adequadamente a física como um produto da inteligência humana, que se mantém em contínua construção e reelaboração. Seus princípios, conceitos e idéias formulados e reformulados ao longo de séculos de reflexão e pesquisa, nem sempre são óbvios; muitas vezes contrariam o senso comum.

2.2.11 Geografia:

O espaço em que vivemos resulta das inter-relações existentes entre a sociedade e a paisagem natural. É, portanto, resultado de interesses, objetivos e necessidades dos diversos grupos sociais que o transformam e o reorganizam.

A singularidade da Geografia, como área do conhecimento, caracteriza-se por estudar a organização do espaço. A paisagem, sempre passível de mudanças, vem a ser a referência concreta para chegar à explicação das relações estabelecidas.

Nesse contexto, a contribuição dos conhecimentos geográficos deve possibilitar ao aluno o desenvolvimento de uma consciência crítica que lhe

Amplie a visão de mundo. Essa visão deverá fornecer condições de uma leitura analítica e reflexiva das relações entre sociedade e a natureza.

2.2.12 História:

Estudar os pensamentos e as ações dos homens, procurando entender as relações entre indivíduos e as coletividades. Tais relações estão em permanente movimento, são dinâmicas e contraditórias. Fazer história é

Recuperar essas relações que se estabelecem entre os mais diversos grupos humanos e seus indivíduos, no desenvolvimento de suas idéias, atividades e costumes, nos mais diferentes espaços e tempos. Percebendo o conhecimento histórico em sua constante construção e entendendo que ele é fruto do seu próprio tempo.

Fornecer dados históricos para o aluno relacionar o presente com o passado de maneira fundamentada.

Tratar a ação dos seres humanos, e não só a ação de ricos, governantes e outros membros da elite, porque todos fazem história.

Desenvolver no aluno um espírito reflexivo, crítico e analítico, que o capacite a lutar pela afirmação da sua cidadania.

2.2.13 L.E.Mod.(Inglês):

Promover o desenvolvimento da habilidade de compreensão do texto escrito e de leitura por meio de atividades a fim de adquirir um conhecimento consistente do idioma inglês.

2.2.14 L.E.Mod.(Espanhol):

Promover o desenvolvimento da habilidade de compreensão do texto escrito e de leitura por meio de atividades a fim de adquirir um conhecimento consistente do idioma espanhol.

2.2.15 Literatura:

Aprofundar a capacidade de sentir e pensar, não apenas compreender, mas, sobretudo incorporar a presença da Literatura.

Vivenciar a experiência literária para com ela enriquecer e ampliar os sentidos da própria existência.

2.2.16 Redação:

Desenvolver a capacidade de linguagem e de pensamento. Conviver, com diferentes textos de modo mais vivo, mais livre e mais lúcido.

Escrever e ler com gosto, compreendendo melhor as idéias, analisando e interpretando com maior clareza, tecendo relações entre o que escreve e lê e o que vive. Descobrindo e desenvolvendo a sensibilidade, a imaginação, a inteligência – a partir das palavras e com as palavras.

3.2.17 Filosofia:

O ensino de Filosofia visa promover a reflexão autônoma sobre questões de nossa vida pessoal e pública através de uma análise radical, rigorosa e de totalidade, que pretende construir ou aguçar a capacidade de percepção da lógica que norteia as relações dos homens com outros homens e com a natureza, levando o cidadão à reflexão permanente do seu próprio existir.

3.2.18 Sociologia:

Levar o aluno a refletir e compreender as profundas transformações sociais.

Estudo dos principais autores da Sociologia

2.3. Metodologia:

A conquista dos objetivos propostos depende de uma prática educativa que tenha como eixo a formação de um cidadão autônomo e participativo. Os alunos vão construir significados a partir de múltiplas e complexas interações. Cada aluno é sujeito do seu processo ensino-aprendizagem, enquanto o professor é mediador na interação dos alunos o objetivo de conhecimento.

O professor deve ter propostas claras sobre o que, quando e como ensinar e avaliar, a fim de possibilitar o planejamento de atividades de ensino para aprendizagem de maneira adequada e coerente com seus objetivos. É a partir dessas determinações que o professor elabora a programação diária da sala de aula e organiza sua intervenção de maneira a propor situações de aprendizagem ajustada as capacidades cognitivas dos alunos.

Em síntese, não é a aprendizagem que deve se ajustar ao ensino, mas sim o ensino que deve potencializar a aprendizagem.

No processo ensino-aprendizagem o conhecimento deve favorecer a reflexão crítica, a criatividade, o trabalho coletivo, iniciativa pessoal, a autonomia advinda do desenvolvimento da confiança na própria capacidade de conhecer e enfrentar desafios.

Sendo assim, as orientações didáticas utilizadas estarão entre as abaixo relacionadas.

- Aulas expositivas.

- Utilização de diversas técnicas de leitura de texto, revista, jornais e de imagens.

- Observações, levantamento de hipóteses, registros orais e por escrito.

- Pesquisas.

- Troca de experiências, debates, palestras, registros, trabalhos coletivos e individuais.

- Excursões educativas.

- Filmes.

2.4. Avaliação do Rendimento Escolar

O processo de aprendizagem é verificado por um conjunto de indicadores, previamente e claramente definidos pela escola. O conjunto dos indicadores inclui a frequência e a verificação do rendimento escolar.

A aprovação ou a retenção do educando é consequência de um julgamento global, a luz do conjunto de indicadores que avaliam o rendimento do Educando.

A frequência oferece condições propícias para o ensino-aprendizagem, a interação docente-educando cria um ambiente de aprendizagem e da convivência social no âmbito da escola. Cabe à escola realizar a acolhida, a permanência e o sucesso do educando no ambiente escolar. Por isso existe o sistema de controle de frequência, adotando procedimentos diagnosticadores dos motivos de ausência do educando e de alerta (sempre documentados), comunicados ao educando e aos seus responsáveis. A frequência mínima exigida do educando é de 75%(setenta e cinco por cento) do total anual das horas letivas do curso.

A avaliação do desempenho do educando será contínua e cumulativa, com prevalência dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos, e dos resultados conseguidos ao longo do período. Registra-se em forma de letras ou números. Prova escrita ou oral, trabalho individual ou em equipe, observações, simulados, são instrumentos, entre outros, para a avaliação.

Os simulados ocorrem no ensino fundamental II e médio, que são aplicados uma única vez por bimestre, deste modo, a pontuação vai de zero (0,0) a um ponto (1,0). Sendo esta pontuação uma nota extra somada à média de cada disciplina.

A avaliação é um processo inerente à aprendizagem e é atribuição do professor e tem como objetivo identificar os sucessos e as dificuldades do aluno, a fim de serem organizadas as ações educativas subsequentes.

O acompanhamento do desempenho do Educando é individual. No momento em que é detectada a necessidade de recuperação, cada educando deve ser de imediato submetido ao processo de orientação pedagógica, reforçando a aprendizagem.

A recuperação paralela, ofertada na modalidade de aula para toda uma turma de educando no fim de cada bimestre ou do ano letivo em preparação de provas, é um válido instrumento de reforço do conhecimento, mas não dispensa o acompanhamento contínuo e individualizado de cada educando, visando à superação de suas falhas.

Avaliar a aprendizagem implica avaliar o ensino oferecido, pois, se não há a aprendizagem esperada, significa que o ensino não cumpriu sua finalidade, a de fazer compreender.

3.0 Das características da avaliação e do rendimento escolar

A avaliação, no decorrer do ano letivo será continuada e periódica que se realiza dentro do cronograma anual divididos em quatro etapas bimestrais. A média referente a cada bimestre obedece a uma escala de 0 (zero) a 10 (dez) de acordo com o desempeno do(a) aluno(a).

O aluno deverá alcançar, no mínimo, a nota 6,0 (seis) por bimestre em cada disciplina. Caso isto não ocorra o mesmo participará do processo de recuperação realizado bimestralmente em regime de contra turno. Neste sentido, a prova de recuperação tem o valor estabelecido de dez pontos (10,0). Caso o aluno alcance nesta prova uma desempenho inferior ou igual ao já obtido no bimestre, a média não sofrerá alteração. Contudo, caso a nota da recuperação for maior que a já obtida no bimestre, a mesma deve ser somada à média bimestral e depois dividida por dois, para, assim obter como resultado a média da recuperação.

O rendimento escolar será avaliado pelo aproveitamento do educando, por meio de técnicas e instrumentos de avaliação diversos, sendo setenta por cento (70%) destinado à avaliação escrita por meio de provas e trinta por cento (30%) para as avaliações continuadas, tais como:

a) observação diária do docente;

b) trabalhos de pesquisa individual ou coletiva;

c) testes, orais ou escritas;

d) resoluções de exercícios;

e) planejamento, execução e apresentação de experiências ou projetos;

f) relatórios;

g) trabalhos práticos;

h) outras técnicas e/ou instrumentos que o docente julgar conveniente.

Em suma, a média bimestral é calculada por meio de uma somatória (avaliação continuada mais nota da prova) que deve alcançar uma média igual o maior que seis pontos (6,0).

Bimestralmente cada disciplina deverá realizar no mínimo 3 (três) avaliações para a composição da média. Os instrumentos de avaliação deverão ser variados e utilizados como meio de verificação que levem o educando ao hábito de pesquisa, à reflexão, à iniciativa e à criatividade.

Todo resultado de avaliação deverá ser mostrado aos educandos e as respectivas correções esclarecidas pelo docente, logo após a sua realização, para que os mesmos conheçam o seu desempenho.

As médias serão entregues e registradas na Secretaria, de acordo com os prazos estipulados no Calendário Escolar.

4.0 Processo de decisão na sala:

A qualidade da atuação na escola não pode depender somente da vontade de um ou de outro professor. É preciso a participação conjunto dos profissionais (diretor, coordenadores, professores e demais funcionários).

É necessário que os professores estejam comprometidos, disponha de tempo e de recursos. A qualidade de intervenção do professor sobre o aluno ou grupo de alunos, os materiais didáticos, horários, espaços, organização e estrutura de classes, a seleção de conteúdos e a proposição de atividades concorrem para que o caminho seja percorrido com sucesso.

Ao coordenador pedagógico cabe a responsabilidade de integrar e articular processualmente as ações pedagógicas e didáticas desenvolvidas na escola, gerenciando este projeto.

Cabe ao diretor representar oficialmente a unidade escolar, administrar, coordenar, supervisionar, encaminhar, na sua área de competência, os recursos e processos, enviando a quem de direito, promover a integração da escola e da comunidade.

O colégio buscará a construção de projetos setoriais, que deverão conter em sua estrutura: objetivo, metodologia e avaliação. Alguns estarão abaixo citadas, sendo eles:

5. ESTUDOS DE TEMAS ATUAIS

Atualizar e aprofundar estudos sobre temas pertinentes à vida escolar e da necessidade dos educandos e professores, através de encontros, debates, texto, livros e fitas de vídeo.

5.1 Apresentação:

Promover a integração do grupo, valorizando suas aptidões, realizando eventos que possam evidenciar tais aptidões.

5.2 Outros:

A escola estará aberta a discussões, debates e reflexões que levem a viabilidade de ações que conduzem aos objetivos propostos neste projeto.

6. RELAÇÕES DE TRABALHO

As novas relações de trabalho abrirão espaços às reflexões coletivas que darão oportunidade à realização do diálogo, da participação democrática no colégio.

Estas relações deverão ser embasadas no respeito, na ética, na amizade e na sinceridade tornando assim a vida no colégio em momentos prazerosos.

É importante lembrar que, quando se busca uma nova organização do trabalho pedagógico, leva-se em conta que as relações de trabalho, no interior do colégio, deverão estar baseadas nas atitudes de solidariedade, de reciprocidade e de participação da totalidade da equipe, em contraposição à organização regida pelos princípios da divisão do trabalho, da individualidade egoísta e do controle hierárquico.

Estas relações de trabalho estarão firmadas nas ações coletivas que vão assim se realizar.

7. PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO:

Acontecerá em Janeiro com o planejamento anual e planejamento bimestral no decorrer do ano.

8. REUNIÃO PEDAGÓGICA COM OS PROFESSORES:

As reuniões pedagógicas serão destinadas para a avaliação do Projeto Pedagógico desenvolvido, para a elaboração de projetos setoriais e também para programar alguns eventos pedagógicos na Escola ou atividades extraclasse.

9. PLANTÃO PEDAGÓGICO COM OS PAIS:

O plantão pedagógico com os pais será realizado bimestralmente. Ele consistirá em um momento, em que os pais dos alunos, conversarão em particular com a coordenação. Os pais terão oportunidade de saber como está à vida escolar de seus filhos, em todos os aspectos em que eles precisam se desenvolver.

10. PLANTÃO DE DÚVIDAS

I. Apoiar pedagogicamente ao aluno em dificuldades.

II. Criar possibilidades, para que o aluno resgate sua aprendizagem.

III. Auxiliar o aluno individualmente em suas dúvidas e dificuldades.

11. RECUPERAÇÃO:

A recuperação tem por finalidade superar as insuficiências verificadas no aproveitamento do educando e serão conduzidas prioritariamente, como orientação e acompanhamento de estudos, de acordo com dados concretos da situação do educando, (ver avaliação).

12. CONSELHO DE CLASSE

O Conselho de Classe terá por finalidade sugerir medidas adequadas à avaliação do rendimento escolar, bem como prestar assistência aos alunos tendo em vista seu desenvolvimento integral.

O Conselho de Classe deverá reunir-se ordinariamente após cada etapa de avaliação podendo ainda reunir-se extraordinariamente quando necessário.

13. REGIME DISCIPLINAR

O corpo discente será constituído por todos os alunos da escola, legalmente matriculados. A escola é uma instância social, destinada à formação dos cidadãos. Dentro dela possíveis erros serão analisados, repensados e superados, com a finalidade de favorecer um ambiente escolar de paz e o respeito mútuo entre os componentes da comunidade escolar.

13.1 São direitos do aluno:

I – Receber assistência educacional de acordo com as suas necessidades e possibilidades da escola;

II – Recorrer às autoridades escolares quando julgar prejudicado em seus direitos;

III – Ter sua individualidade respeitada pela comunidade escolar sem discriminação de qualquer natureza;

IV – Participar das atividades escolares, sociais, cívicas e recreativas destinadas a sua formação;

V – Ser ouvido em queixas ou reclamações.

13.2 São deveres do aluno:

I – Respeitar os regulamentos e normas do Estabelecimento de Ensino;

II – Abster-se de atos que perturbem a ordem, ofendem os bons costumes ou importem em desacato às leis, às autoridades escolares e funcionários no desempenho de suas funções;

III – Desempenhar com responsabilidade, todas as atividades escolares em que sua participação for exigida;

IV – Contribuir, no que lhe couber, para a conservação e valorização do Estabelecimento de Ensino;

V – Comunicar à Direção o seu afastamento temporário, por motivo de doença ou outros.

13.3 São direitos e deveres dos pais ou responsáveis:

I – Garantir que a criança frequente as aulas regularmente;

II – Estimular a criança no cumprimento de suas atividades;

III – Conhecer o Regimento Escolar, O Projeto Político Pedagógico e a Programação Curricular;

IV – Participar das reuniões de pais e mestres todos as vezes que forem convocados;

V – Procurar periodicamente a Instituição para saber a respeito do processo de desenvolvimento e aprendizagem da criança;

VI – Acompanhar e avaliar o processo de avaliação da Instituição;

VII – Responsabilizar-se pelos danos causados pela criança no recinto da Instituição;

VIII – Comparecer a Instituição sempre que solicitado;

IX – Receber bimestralmente o Relatório da Avaliação do desenvolvimento da criança;

X – Ser informado pela Instituição das dificuldades de aprendizagem da criança.

14. PROCEDIMENTOS DISCIPLINARES:

Os alunos do Ensino Fundamental e Médio estão sujeitos aos seguintes procedimentos disciplinares e sanções:

I – Aconselhamento;

II – Comunicado aos pais;

III – Repreensão por escrito;

IV – Transferência pedagógica.

§ 1º A medida disciplinar de Aconselhamento destina-se aos atos indisciplinares e poderá ser aplicada pelo diretor, coordenador pedagógico e professores.

§ 2º A medida disciplinar de comunicado aos pais ou responsáveis destina-se aos atos indisciplinares por reincidência nas situações constantes do artigo anterior e poderá ser aplicada pelo diretor ou coordenador pedagógico.

§ 3º A medida disciplinar de repreensão por escrito destina-se aos atos indisciplinares e serão analisados e aplicados pelo diretor ou coordenador pedagógico.

§ 4º A medida disciplinar de transferência pedagógica será aplicada aos atos indisciplinares e nas situações em que demandem a aplicação da medida de repreensão por escrito, em caso de reincidência, por 2 (duas) vezes, ou se da prática desses atos indisciplinares resultar dano grave aos membros da comunidade escolar ou contra o patrimônio da escola. Será aplicado pelo diretor.

A Transferência pedagógica terá caráter excepcional e será aplicada se for a benefício do desenvolvimento educacional do aluno que terá direito ao contraditório e ampla defesa e nos casos excepcionais o procedimento para aplicação poderá ser acompanhado pelo Conselho Tutelar ou Ministério Público. Em qualquer hipótese, os pais ou responsáveis deverão ser notificados e orientados, bem como deverão acompanhar todo procedimento disciplinar.

- Bulling são agressões verbais, físicas, psicológicas ou morais, praticadas repetidas vezes por alunos contra colegas, caracterizando perseguições, transgressões, desrespeito, discriminações e todas as modalidades que se manifesta o bulling e o cyberbulling devem ser enfrentadas com ações propositivas e formativas, solicitando a cooperação da família, e, nos casos mais graves, do Conselho Tutelar e do Ministério Público.

15. AVALIAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO

O projeto deverá ser acompanhado e avaliado periodicamente a fim de se verificar o estado real do trabalho desenvolvido pelo grupo.

A equipe da escola levará a discussão todos os aspectos constantes neste projeto, acompanhando e avaliando os resultados da organização do trabalho pedagógico em reuniões marcadas com este propósito e, no momento em que forem surgindo dificuldades ou, até mesmo, novas propostas para o mesmo. Assim, este projeto não se encontra finalizado e sofrerá, certamente, mudanças aceitando sugestões que venham melhoras nossa prática e que nos ajude a cumprir nosso papel de educadores.

“A educação se constrói pela reflexão antes de tudo e pelos resultados em segundo lugar”.

“Escola é lugar de se aprender e aprender inclui errar, errar faz parte do processo pedagógico e por isso, o aluno não pode ser punido por algo que faz parte de sua vida como aprendiz...”.

CAGLIARE, Luiz Carlos. 1.988.